segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Groupon, o negócio Milionário de Compras Coletivas Explicado




Um dos mais lucrativos do momento na internet. Vou partilhar o que descobri!
Calculo que já todos ouviram falar na Groupon, a empresa que se lançou em 2008 e já foi considerada a mais rápida de sempre a faturar 1 bilião de dólares. O Google já tentou comprar a Groupon com uma oferta perto dos 6 biliões de dólares, que foi recusada. IMPRESSIONANTE!
Com números desta ordem, é natural que as cópias tenham surgido um pouco por todo lado. Se você está registado na NetAfiiliation, já deves ter visto várias campanhas de compra da leads para sites do gênero em Portugal.
A verdade que, como é comum na internet, este é um negócio onde qualquer um pode entrar com um investimento relativamente pequeno. Os scripts clones do Groupon custam entre 250 a 700 euros e são soluções instantâneas para quem quiser criar o seu próprio site de compras colectivas.
Mas antes de se aventurar num projeto deste tipo, convém entender exatamente qual é o seu modelo de negócio.

Como funciona um site de compras colectivas?

Estes sites vendem cupões aos seus utilizadores para usufruírem de produtos ou serviços a preços drasticamente inferiores ao normal. Tipicamente o desconto é de 50% a 70%, podendo chegar aos 90%!
Todos os dias é lançado um novo desconto, com tempo limitado para ser adquirido. Os subscritores recebem a novidade e são pressionados a comprar e a divulgar junto dos amigos. Quando um utilizador compra um cupão, é natural que convide os amigos, porque precisa que seja atingido o número mínimo de compradores.
O site afirma que este tipo de descontos é possível devido ao poder das compras em grupo, graças ao número obrigatório de cupões vendidos para a oferta ser validada. A verdade é bem diferente, estes descontos não dão nenhum lucro ao vendedor, mesmo em grandes quantidades – pelo contrário. A razão para os fazerem é a publicidade e a esperança de captarem novos clientes que voltem a usar os serviços, ao preço normal.
Portanto, o anunciante oferece os seus serviços a um preço irrisório com o objectivo de se dar a conhecer novos clientes. Estes compram o cupão e vão desfrutar do serviço a um preço baixíssimo. Todos ganham algo.

E como ganhar dinheiro com o site?

Esta é a minha parte preferida do modelo de negócio. O cliente final já compra o cupão a um preço muito inferior ao que seria normal, mas esse valor não vai todo para o vendedor. O site de compras colectivas é que recebe o dinheiro do cupão, fica com uma percentagem e depois paga o restante ao vendedor.
Esta percentagem que o site ganha por cada cupão vendido pode chegar aos 50% do valor do cupão! Com a concorrência a aumentar é certo que este valor vá baixando, mas não deixa de ser um grande negócio.

Marketing viral

Tipicamente este gênero de sites apostam numa estratégia de marketing viral. Além dos compradores precisarem de convidar mais pessoas para comprar as ofertas que lhes interessam, o site ainda oferece dinheiro por cada referência. A forma como se pode gastar este dinheiro e o valor oferecido variam um pouco de site para site.
O normal é que um site que ofereça alguns euros por cada referência que efetua uma compra, permita que esse dinheiro seja gasto livremente. Por outro lado, os sites que oferecem dinheiro apenas por referir um novo registo, colocam grandes limitações à forma como se gastam esses créditos. Eu prefiro a primeira opção, é mais honesta e transparente, embora seja menos apelativa para o utilizador.
Como já referi, os programas de afiliados também são amplamente utilizados para comprar leads destinadas a aumentar a base de dados até atingirem ao volume necessário.
Além disso, ainda é habitual promover passatempos na fase de lançamento dos sites. Quem levar mais novos utilizadores ganha prêmios aliciantes.

Atividades chave

Como já perceberam, as atividades chave deste negócio são a captação de registos no site para se conseguir uma base de dados volumosa e a captação de ofertas com grandes descontos no comércio local de cada cidade. Quanto mais utilizadores, mais fácil de obter ofertas e vice-versa.
Isto quer dizer que para arrancar é preciso investir fortemente em ambos os campos, sendo que no segundo temos mesmo de sair de casa e bater à porta dos estabelecimentos. Não é, portanto, um negócio para todos.
É claro que esta tarefa fica facilitada se já tivermos á partida uma grande base de utilizadores a quem divulgar as ofertas, por exemplo uma rede de sites com muito movimento, ou uma fan page ''páginas de fans no facebook''!